Doces de legumes e frutas

DOCE DE CENOURAS

- Descasquem-se e ralem-se boas cenouras amarelas e lave-se em duas águas e passe-se por um peneiro fino a massa resultante. Seguidamente, prepare-se uma calda diluída de açúcar, deite-se-lhe a massa e ferva-se tudo até chegar ao ponto conveniente.

Adicionem-se alguns cravos da índia e alguma canela, deite-se em copos e deixe-se arrefecer.

DOCE DE TOMATES

- Tiras-se a pele e a urna da porção de tomates, cortem-se em duas partes iguais, extraiam-se-lhes as pevides, Metem-se numa caçarola com igual peso de açúcar branco refinado e reduz~se a massa pela cocção, até ficar com a consistência de marmelada espessa, que se aromatiza com limão ou canela.

DOCE DE FEIJÃO BRANCO

- Coze-se em água um litro de feijão, escorre-se-lhe depois a água muito bem por um passador, e deite-se o feijão num peneiro de crina, esmagando-o o mais possível com uma colher de pau. Pesa-se a massa obtida. Leva-se nova. mente ao lume, adicionando-lhe por cada meio quilo de açúcar fino que se lhe junta meio litro de água fria. Deixe-se ferver até o açúcar chegar a ponto de espadana forte e tira-se do fogo, servindo-se frio.

DOCE DE ABÓBORA

- Corta-se em pequenos bocados a polpa duma abóbora e cozem-se em água salgada. Passam-se por um peneiro de crina, adiciona-se-lhes leite, um pouco de manteiga de vaca e açúcar suficiente.

DOCE DE MILHO

- Colhe-se uma porção de maçaroca de milho ainda com leite, tiram-se-lhes os grãos e pisam-se muito bem. num almofariz. Passa-se depois a massa por um peneiro e pesa-se o polme com igual peso de açúcar. Deixa-se cozer até atingir um elevado grau de concentração, retira-se do lume e deixa-se esfriar, adicionando-se-lhe três gemas de ovos por cada meio quilo de polme Deita-se numa pequena tigela, polvilha-se com canela e leva-se a tostar a um forno brando. Este doce é muito apreciado no Brasil.

DOCE DE CHILA

- Preparas-se este doce, que é bastante apreciado, com abóbora de gila ou chila cortando-a em pedaços, sem empregar ferro, e tirando- as pevides e cordões. Coloca-se de molho durante um dia, decorrido o qual se coze e deita num peneiro, onde se deixa escorrer bem. Logo que a chila esteja bem enxuta e espremida, leva-se ao lume unia quantidade de açúcar com o peso igual ao dos bocados de chila, que devem ter sido pesados em cru, e deita-se-lhe dentro a chila dei~ xando-a cozer no açúcar. Verificasse que a chila está convenientemente cozida quando não cai da colher de pau com que se mexe. Adiciona-se-lhe, querendo, um pouco de canela ou de água de flor de laranjeira.

DOCE DE BATATAS

Conhecido pelo nome de batatas das ilhas, fabrica-se com batatas doces. Colocam-se as batatas a cozer, ao mesmo tempo que se procede à clarificação duma porção de açúcar. Logo que as batatas estejam cozidas, descascam-se e passam-se por um peneiro de crina, a fim de a polpa ficar absolutamente livre de grumos. Durante esta operação, o açúcar tem tido tempo de atingir o ponto preciso, que deve ser o de rebuçado mole, tira-se a caçarola do lume, deita-se dentro a polpa das batatas e, com uma colher de Pau, bate-se e revolve-se bem no açúcar. Seguidamente, leva-se a caçarola ao lume, e faz-se ferver durante dez a quinze minutos, mexendo continuamente com a colher. a fim de não se pegar no fundo. Concluída esta última fervura retira-se e mete-se